quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Reveillon, música e identidade [2]


Quando no Espírito Santo, eu sempre achei a cultura muito diferente. Por isso a observação sobre a trilha sonora do reveillon e o post passado. Mas aquilo tudo que eu falei sobre a identidade e a música capixaba se restringiu à noite do reveillon.

Depois, me surpreendeu um traço da cultura goiana impresso na capixaba. Um traço não, quase um desenho inteiro. O que eu mais escutei na praia, vi nos sites, escutei na rua, nas rádios, das pessoas, foi música SERTANEJA. Vocês acreditam nisso? Se vocês, goianos, querem se orgulhar de algo regional, orgulhem-se da música sertaneja!

Que invasão! Vitória está tomada! Eu não é só música da modinha não. Apesar de Vitor e Léo ser a sensação do momento, eles também ouvem o clássico "modão", daqueles antigos mesmo, que a gente está acostumado por aqui e acha que só goiano conhece. Eu escutei mais sertanejo lá do que normalmente escutaria em Goiás, que overdose! Nunca me imaginei, na praia, torrando no sol, tomando minha água de coco e escutando "Garçon amiiiiiiiigo, apague a luz da minha mesaaaaaaa.... Eu não quero que ela noteeeeeeeee, em mim tanta tristeza....Traga mais uma garrafaaaaaaaa..."

Eu hein, desce mais uma mesmo! Que é teeeeeeenso sair de Goiás pra ir escutar isso na praia. Essa praga está se espalhando! Confirmo o que eu estou dizendo com um caso verídico. Uma noite, num boteco, um dos dez homens sentados próximos a mim, perguntou:


- Do you speak English?

- Yes, I do.

- Oh, thanks God! We're here working, in a ship, and we're looking for some place where we can hear country western music. We're from USA and we have just tonight in Vitória. Can you help me?

É, a cultura goiana parece mais forte que a capixaba. Só capixabas conhecem o Congo. Já o sertanejo...


3 comentários:

Ana disse...

O sertanejo é praga. Assim como o axé (E lá vou eu para Bahia de novo ¬¬)

*
Não me canso de afirmar a leveza dos últimos textos. Sucesso, gata.

zé disse...

Essa tríade de textos está matadora! Quanta maturidade, quanta confiança! Chefe, to gostando de ver!
adorei vc começando toda cult com: "Quando no espírito santo..."
E quanto ao sertanejo... é como eu sempre digo:
Podiamos exportar todo o sertanejo pro litoral e ficar sem nenhum por aqui. Eu adoraria!

bjo ana!

luti disse...

huiahuiahiuahuiahuia
concoooordo plenamente com o Zé...
mas sair do Goiás pra escutar sertanejo em Vitória é pra acabar hein!?

=*** negona de Vitória e que hoje a gente coma e ria muuuito hahahaha