sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Celina

Temos quase a mesma idade, eu sou um ano mais nova. Ela veio do interior do Espírito Santo, para a cidade grande, trabalhar e estudar; está no segundo ano de Pedagogia. Na região da Mata Fria, onde nasceu e foi criada, predominou a colonização italiana. Daí herdou o cabelo loiro e os olhos verdes.

Fala demais, trabalha demais, dá opinião demais. Todo mundo se diverte com as gafes típicas de alguém que não sabia o que era shopping, nunca tinha andado de avião, não tinha vida social e vivia na "venda" da região, que é do seu pai, sofrendo toda sorte de abordagens masculinas, aprendendo o palavreado mais xulo possível e armando barracos homéricos, sempre.

Hoje ela tem carteira de motorista, faculdade, salário e mais calma. Não se cansa de declarar a vergonha que sente do seu período barraqueiro. Ela tem um noivo. Foi passar o reveillon na Mata Fria e voltou de aliança. Há muito tempo está comprando móveis (de primeira linha!) para sua casa. Mas ela diz que está enrolando o coitado, que não quer casar não, que quer ser independente!

Uma tarde, foi à praia comigo depois do serviço. O primeiro surfista falou com a gente, coisa que não acontecia comigo sozinha! Me ensinou a andar de ônibus, foi minha parceira no baralho e me fez relembrar como é bom andar de bicicleta.

Celina é a empregada da casa do meu tio. Pessoas assim são felizes com o pouco que têm, enquanto nós reclamamos muito, querendo sempre mais. Eu sou adepta da ambição e ainda quero ter muita coisa na vida. Mas aprendi que enquanto não tenho, estava perdendo muito tempo lamentando essa falta. A Celina chorou quando eu fui embora, e eu fiquei feliz por ter aprendido grandes lições com ela.

6 comentários:

Ana disse...

Fiquei com vontade de conhecer a Celina, de verdade!

E digo novamente: textos cada vez melhores. Me mata de orgulho.

\o/

dario disse...

ana paula naum sei quem é vc mas vc é minha prima, vi fotos de tio gilson e tio wilson, alem de vc ter comentado em edu, moro numa cidade do para chamada paragominas, nasci em santo antonio (vitoria) e meu nome é dario lourenco de souza em homenagem a vovô dario. vc é filha de tio ado ? meu email é dariolsouza@hotmail.com.
ps. tenho uma irma chamada ana paula e somos filhos da filha mais velha do dario lourenco ( tenho uma casa na avenida do sambodromo)

Isa disse...

Já viu que todos nós temos o dom de complicar? Parece que só conseguimos mudar alguma coisa em nossas vidas quando saimos dessa rotina de sempre e enxergamos(enfim) que existem outras possibilidades..tão simples e tão mais fáceis! Bom saber que você começou a encontrar esse novo caminho!
Bjuss

zé disse...

esse é um dos melhores textos que eu já li aqui, e olha que a concorrência tem sido brava!
Muito perspicaz ana p.! Lembrou-me certas crônicas bem feitas por aí, mas com muito mais tato.
Não sei se concordo com as idéias e com a admiração pelo modo de vida da Celina, mas concordo com a abrangência do texto!

bjolas !

luti disse...

Nossa! Fiquei surpresa com o texto. Não que eu duvidasse da sua capacidade gata, mas parece que vc voltou dessa viagem com um olhar diferente, tão mais apurado!!

Como diria a Aninha, morro de orgulho ^^

marília disse...

NOSSA! Mas voltou da praia com a inspiração a flor da pele. Ficou lindo o texto, mesmo mesmo! Traz a Celina pra cá pra gente conhecer \o/ heueh ;*